União dos principais portais de anúncios imobiliários OLX Brasil e Grupo Zap é a grande novidade do momento.

Publicado em 18/03/2020 por

O ano de 2019 trouxe grandes notícias para a construção civil, sendo um período de fortalecimento para o setor e de retomada do mercado imobiliário. As boas notícias se deram, principalmente, na geração de novos empregos, vendas e lançamentos de imóveis, melhora do PIB da construção e a importante redução da taxa de juros, possibilitando novas ofertas de financiamento e o acesso facilitado a imóvel próprio.

O novo ano, 2020, também já começou com grandes novidades no mercado imobiliário brasileiro, principalmente ao que diz respeito aos interesses de anunciantes de imóveis. Os classificados de imóveis OLX Brasil uniu-se ao Grupo Zap (que há pouco tempo fez união com o portal de imóveis Viva Real), pagando um valor estimado em 2,9 milhões de reais.

Até então o mercado imobiliário possuía duas startups consideradas unicórnios, aquelas avaliadas em pelo menos 1 bilhão de dólares. Eram a imobiliária online Quinto Andar e a Loft, que além de negociar também reforma imóveis. Mas o anúncio da união dos portais imobiliários, OLX e Grupo Zap, traz não só uma terceira empresa para a lista, como cria um novo líder indiscutível. A união ainda depende de aval do Cade, que quando aprovada, deve gerar uma empresa avaliada entre 2,5 e 3 bilhões de dólares — ou, dada a alta volatilidade do câmbio nos últimos dias, algo entre 10,5 e 14,5 bilhões de reais. A operação brasileira da OLX, sozinha, valia entre 1,5 e 2 bilhões de dólares no fim de 2019.

Com o Grupo ZAP, a OLX Brasil poderá oferecer a seus usuários mais de 12 milhões de listagens de mais de 40.000 agências imobiliárias e milhares de listas particulares, além de permitir que seus anunciantes atinjam um público maior.


Informações baseadas na publicação da revista Exame, em 05 de março de 2020.